29 filmes sobre a Grécia Antiga

Nei Nordin

Segue uma indicação de bons filmes sobre a Grécia Antiga. Já assisti a maioria, mas sempre que alguém me pede uma indicação, não lembro a maioria. Então fiz aqui uma lista dos principais.

Os filmes estão organizados por ordem de ano de lançamento.

Alexandre, o grande (Alexander the Great) Diretor: Robert Rossen. EUA. Ano de lançamento: 1956. Sinopse: Alexandre (Richard Burton) é um homem perturbado pelo conflito entre a elevada sabedoria de seu professor, Aristóteles (Barry Jones), a lealdade a seu pai (Fredric March), um guerreiro, e seu próprio grandioso desígnio de dominar o mundo. Em um mundo turbulento de política conturbada, este jovem ambicioso ergue-se acima de todos os conflitos a fim de julgar os continentes da Europa e Ásia e tornar-se um dos maiores e mais famosos governantes de todos os tempos.
Antígona (Antigoni) Diretor: Yorgos Javellas. Grécia. Ano de lançamento: 1961. Sinopse: Antígona é uma tragédia grega de Sófocles, composta por volta de 442 AC. É cronologicamente a terceira peça de uma sequência de três tratando do ciclo tebano, embora tenha sido a primeira a ser escrita. A personagem do título é Antígona, filha de Édipo, e irmã de Etéocles e Polinice. A história tem início com a morte dos dois filhos de Édipo, Etéocles e Polinices, que se mataram mutuamente na luta pelo trono de Tebas. Com isso sobe ao poder Creonte, parente próximo da linhagem de Jocasta. Seu primeiro édito dizia respeito ao sepultamento dos irmãos Labdácidas. Ficou estipulado que o corpo de Etéocles, receberia todo cerimonial devido aos mortos e aos deuses. Já Polinices teria seu corpo largado a esmo, sem o direito de ser sepultado e deixado para que as aves de rapina e os cães o dilacerassem. Creonte entendia que isso serviria de exemplo para todos os que pretendessem intentar contra o governo de Tebas.
Hércules na conquista de Atlântida (Ercole alla Conquista di Atlantide) Diretor: Vittorio Cottafavi. França / Itália. Ano de lançamento: 1961. Sinopse: O magnífico e incomparável filho dos deuses Hércules encara mais um grande desafio, tendo que salvar uma belíssima nobre das garras de uma terrível e maligna criatura. Ela o acolhe em sua cidade natal, a lendária Atlântida, onde Hércules deve enfrentar mais perigos e desafios para salvar a vida de sua amada, ameaçada pela própria mãe da donzela, e também a vida de seus companheiros, como Timóteo, o Anão. Tudo isto deve ser feito antes que a cidade e todos os seus habitantes sejam completamente destruídos, inclusive o nosso herói.
Hércules no centro da terra (Ercole al Centro della Terra) Diretor: Franco Prosperi / Mario Bava. Itália. Ano de lançamento: 1961. Sinopse: Hércules precisa lutar contra um monstro de pedra, recuperar uma maçã dourada da árvore de Hespérides e enfrentar horrores de Hades para salvar sua amada das garras do perverso Lyco (Christopher Lee).
Electra, a vingadora (Ilektra) Diretor:         Mihalis Kakogiannis. Grécia. Ano de lançamento: 1962. Sinopse: Depois da guerra de 10 anos contra Tróia, Agamenon (Theodoros Dimitrief), o arqui-general de todos os gregos, retornou vencedor ao seu reino. O povo de Micenas e sua esposa, Clitemnestra (Aleka Katselli), o receberam com grandes honras, mas enquanto o marido estava na guerra ela estava nos braços de um amante, que mata Agamenon logo após o seu retorno. Electra (Irene Papas) e Orestes (Yannis Ferthis), os filhos de Agamenon e Clitemnestra, sabiam que o crime tinha sido cometido com o apoio da mãe, mas como eram crianças não podiam fazer nada. Orestes deixa o lar e Electra permanece, ansiando pelo dia que poderá vingar a morte de Agamenon.
Os Valentes Damão e Pítias (Il tiranno di Siracusa) Diretor: Curtis Bernhardt. Itália. Ano de lançamento: 1962. Sinopse: Este filme é baseado na história da amizade sincera e verdadeira entre os míticos heróis gregos Damão e Pítias, seguidores de Pitágoras, que despertam a ira do tirano Dionísio, de Siracusa, pela vivência de seus discursos. Quando Pítias precisa sair da prisão para visitar sua esposa em Atenas, o ditador propõe que Damão ocupe o lugar daquele, com o pérfido intento de provar que a amizade não é tão profunda quanto parece.

Os 300 de Esparta (The 300 Spartans) Diretor: Rudolph Maté. EUA. Ano de lançamento: 1962. Sinopse: A derrota em Maratona (490 a.C.), não fez os persas desistirem de incluir a Grécia nos vastos domínios de seu império. Em 480 a.C., o rei Xerxes lidera um numeroso exército e uma poderosa frota para realizar o frustrado projeto de seu pai, Dario I. Enquanto o exército asiático avança pelo litoral (para ser abastecido pela frota), as cidades-estado gregas, divididas por suas querelas internas, não conseguem, imediatamente, adotar uma estratégia comum. Quando muito, despacham um pequeno contingente de hoplitas para o estreito desfiladeiro das Termópilas (passagem obrigatória para a Grécia central), visando retardar o progresso do invasor. Por um curto tempo, os gregos resistem, mas quando o local é circundado pelos persas, a resistência se torna inútil e todos recuam, salvo o rei Leônidas que, à frente de trezentos espartanos, opta por conquistar a glória mediante uma morte heróica. Tal é o tema dessa produção cinematográfica estadunidense, realizada com a cooperação do governo da Grécia, e filmada na localidade grega de Perachora, no Peloponeso.

Jasão e o velo de ouro (Jason and the Argonauts) Diretor: Don Chaffey. EUA / Reino Unido. Ano de lançamento: 1963. Sinopse: Jasão lidera um time de aventureiros em uma perigosa busca pelo lendário velo de ouro.
Hércules e a princesa de Tróia (Hercules and the Princess of Troy) Diretor: Albert Band. EUA / Itália. Ano de lançamento: 1965. Sinopse: Hércules luta contra um monstro do mar para salvar a lendária cidade de Tróia e sua princesa Diana, herdeira do trono que foi aprisionada por seu próprio tio, o tirano Petra. Piloto de uma série de TV que não vingou, co-produção entre Itália e Estados Unidos.
Hércules em Nova York (Hercules in New York) Diretor: Arthur Allan Seidelman. EUA. Ano de lançamento: 1970. Sinopse: Cansado da vida no Olimpo, Hércules desce à terra e se envolve com empresários de luta-livre, enquanto tenta aplacar a fúria de Zeus, que quer castigá-lo exemplarmente por ter desobedecido suas ordens. Estréia de Arnold Schwarzenegger no cinema (assinando como Arnold Strong), num papel que lhe foi encorajado pelo amigo britânico e também musculoso Reg Park – que havia feito três filmes no papel de Hércules.
Sócrates (Socrate) Diretor: Roberto Rosselini. Itália. Ano de lançamento: 1971. Sinopse: Com direção do mestre italiano Roberto Rossellini (Roma, Cidade Aberta), esta superprodução européia é a cinebiografia de Sócrates (470 – 333 a.C.), um dos maiores filósofos da Humanidade. Rossellini mostra o final da vida de Sócrates, em especial seu julgamento e sua condenação à morte, com destaque para os célebres diálogos socráticos: “Apologia”, discurso de defesa do filósofo; “Críton”, em que um dos seus discípulos tenta convencê-lo a fugir da prisão; e “Fédon”, com seus últimos ensinamentos antes de tomar a cicuta. Sócrates é mais uma aula de cinema de Rossellini e um programa obrigatório para os interessados em Filosofia.
As troianas (The Trojan Women) Diretor: Mihalis Kakogiannis. Grécia. Ano de lançamento: 1971. Sinopse: Hecuba e as outras mulheres troianas tem sua cidade destruída pelos Gregos. Elas são informadas que tem que se casar com gregos, mas a filha de Hecuba não aceita isso, já que jurou aos deuses viver como uma virgem.
Hércules 87 (The Trojan Women) Diretor: Luigi Cozzi. EUA / Itália. Ano de lançamento: 1971. Sinopse: Hércules, o mais poderoso de todos os semi-deuses, desce à Terra para fazer justiça. Enquanto enfrenta o feiticeiro Minos, o herói corteja o amor de uma princesa.
Ifigênia (Ifigeneia) Diretor: Mihalis Kakogiannis. Grécia. Ano de lançamento: 1977. Sinopse: O exército grego está prestes a enfrentar uma grande batalha naval contra Tróia, mas os ventos se recusam a soprar. O líder destas tropas, Agamenon, tenta encontrar comida para seus famintos soldados e, por acidente, mata um veado sagrado, de maneira que a punição que cai sobre ele é o sacrifício de sua filha Ifigênia, o que desperta a ira e os lamentos de sua esposa Clitemnestra.
Fúria de Titãs (Clash of the Titans) Diretor: Desmond Davis. EUA. Ano de lançamento: 1981. Sinopse: Adaptação do mito grego de Perseu, o filho de Zeus, o deus dos deuses do Olimpo, com uma mulher mortal. Já crescido, ele vive uma grande aventura para poder desposar a Princesa Andrômeda, que será sacrificada ao monstruoso Kraken em 30 dias para aplacar a fúria dos deuses. Na sua jornada para impedir o sacrifício, Perseu precisa lutar contra a terrível Medusa, auxiliado pela coruja mecânica Bubo e pelo cavalo alado Pégaso.
Medéia (Medea) Diretor: Lars Von Trier. Dinamarca. Ano de lançamento: 1988. Sinopse: A direção de Lars Von Trier faz deste filme um olhar chocante sobre a mente perturbada de uma mulher desprezada e abandonada. A vingança de Medéia é terrível mas nunca inacreditável. Ela faz o que qualquer pessoa em sã consciência faria se fosse destituída de tudo aquilo que ama. O filme marca a mente do espectador e lhe deixa com um duradouro sentimento de como a miséria humana pode se manifestar.
Hércules no mundo dos mortos (Hercules in the Underworld) Diretor: Bill Norton. EUA / Nova Zelândia. Ano de lançamento: 1994. Sinopse: Hércules é chamado por uma garota para salvar uma aldeia inteira que está quase caindo em um precipício. Quando ela cai nesse abismo, o herói se atira para salvá-la, indo parar no submundo de Hades.
Jasão e os Argonautas: A Vingança do Gladiador (Jason and The Argonauts) Diretor: Nick Willing. EUA. Ano de lançamento: 2000. Sinopse: Na Grécia antiga, a cidade de Iolcus é invadida pelo tirano Pelias,que assassina seu irmão, o rei Aeson. Jasão, o filho do rei deposto. Então com apenas três anos, é salvo e enviado por súditos fiéis para um local distante. Vinte anos depois, Jasão descobre a verdade sobre o seu passado e decide reconquistar seu reino. Ao descobrir que seu sobrinho está em Iolcus, Pelias manda matá-lo. Em troca de sua vida, Jasão promete encontrar o velódromo de ouro, um dos presentes mais valiosos já dados pelos deuses. Ele constrói um navio, o Argos, e parte para uma aventura emocionante, na qual enfrentará a ira de Zeus, tempestades furiosas e monstros marinhos, como um verdadeiro gladiador.
Helena de Tróia: paixão e guerra (Helen of Troy) Diretor: John Kent Harrison. EUA. Ano de lançamento: 2003. Sinopse: Raptada por Páris, líder dos troianos, Helena se torna pivô de uma batalha entre duas grandes civilizações – Tróia e Esparta – que duraria quase uma década.
Alexandre (Alexander) Diretor: Oliver Stone. EUA. Ano de lançamento: 2004. Sinopse: Junho de 323 A.C., Babilônia, Pérsia. Quando faltava um mês para completar 33 anos, morre precocemente Alexandre, o Grande (Colin Farrell), que tinha conquistado 90% do mundo conhecido. Alexandria, Egito, 40 anos depois. Ptolomeu (Anthony Hopkins), um general de Alexandre que o conhecia bem, narra para Cadmo, um escriba, que se tornou o guardião do corpo de Alexandre, que ali está embalsamado à moda egípcia (Ptolomeu se tornou faraó, pois ficou com o Egito quando o império foi dividido). Tristemente Ptolomeu frisa que as grandes vitórias dos exércitos de Alexandre foram esquecidas e diz para Cadmo que Alexandre era um deus, ou a pessoa mais perto disso, que já vira. Apesar de ser chamado de tirano, Ptolomeu diz que só os fortes governam, mas Alexandre era mais, pois mudou o mundo. Antes dele havia tribos e depois dele tudo passou a ser possível. Surgiu a idéia que o mundo poderia ser governado por um só rei. Era um império não de terras e de ouro, mas da mente, uma civilização helênica aberta a todos.

Tróia (Troy) Diretor: Wolfgang Petersen. EUA / Malta / Reino Unido. Ano de lançamento: 2004. Sinopse: Em 1193 A.C., Paris (Orlando Bloom) é um príncipe que provoca uma guerra da Messência contra Tróia, ao afastar Helena (Diane Kruger) de seu marido, Menelau (Brendan Gleeson). Tem início então uma sangrenta batalha, que dura por mais de uma década. A esperança do Príamo (Peter O’Toole), rei de Tróia, em vencer a guerra está nas mãos de Aquiles (Brad Pitt), o maior herói da Grécia, e seu filho Hector (Eric Bana).

Hércules (Hercules) Diretor: Roger Young. EUA. Ano de lançamento: 2005. Sinopse: Numa época muito remota, quando Hera e Zeus disputavam o poder, esta rivalidade chegou até os humanos, pois os seguidores de Hera tentavam derrotar os adoradores de Zeus. Neste contexto Alcmena (Elizabeth Perkins), princesa de Tebas e grã-sacerdotisa de Hera, espera o retorno do marido, Anfitrião (Timothy Dalton), que partiu com seus homens para se vingar dos piratas cretenses, que assassinaram alguns parentes de sua esposa. Alcmena anseia que o marido não seja bem- sucedido, pois é um adorador de Zeus. No entanto ele volta vitorioso, tendo matado vários piratas e os restantes estavam sendo levados como escravos. Quase ao chegar um destes cativos, Anteu (Tyler Mane), escapa e ao chegar na praia estupra Alcmena, que na verdade é engravidada por Zeus. Logo depois chega Anfitrião, que a leva ao leito e também a engravida. Alcmena se recusa a ter um filho de Zeus e pensa em matá-lo, mas o oráculo Tirésias (Kim Coates) prediz que ela terá dois filhos e diz que será difícil saber qual é o filho de Zeus. Quando nascem (curiosamente ninguém sabe qual dos bebês nasceu primeiro) duas harpias conseguem identificar qual deles é o filho de Zeus e o chamam de Hércules (Paul Telfer). Alcmena chama o outro filho de Íficles (Luke Ford) e manda que Anfitrião mate Hércules. Ele quase cumpre o pedido mas volta com o bebê, dizendo que se é mesmo o filho de Zeus ele não quer ser o responsável pela sua morte. Alcmena diz que não cuidará da criança e Anfitrião assume a tarefa de arrumar uma ama-de-leite. A rivalidade entre os seguidores de Zeus e Hera vão provocar muitas tristezas para ambos os lados.
300 (300) Diretor: Zack Snyder. EUA. Ano de lançamento: 2006. Sinopse: 300 é um relato sangrento da Batalha das Termópilas, da Antigüidade, na qual o Rei Leônidas (Gerard Butler) e mais 299 espartanos (300, no total) lutaram contra Xerxes (Rodrigo Santoro) e seu numeroso exército persa. Enfrentando dificuldades insuperáveis, o sacrifí­cio desses homens levou toda a Grécia a se unir contra o inimigo persa, traçando um marco no caminho para a democracia. Inspirada pela obra de Frank Miller, criador da graphic novel Sin City, o filme é uma aventura épica que fala de paixão, coragem, liberdade e sacrifí­cio, incorporados pelos guerreiros espartanos que lutaram em uma das maiores batalhas da história.
Fúria de Titãs (Clash of the Titans) Diretor: Louis Leterrier. EUA. Ano de lançamento: 2010. Sinopse: Sam Worthington é Perseu, o filho mortal de Zeus, que luta para salvar a vida da princesa Andrômeda do monstro marinho Kraken. Para tal, ele precisa de uma arma tão letal quanto difícil de conseguir: a cabeça de Medusa! Acompanhado de um grupo de corajosos guerreiros e montado no fabuloso Pegasus, o cavalo alado, Perseu parte em uma aventura sem precedentes pelas terras fantásticas da mitologia grega.

Imortais (Immortals) Diretor: Tarsem Singh. EUA. Ano de lançamento: 2011. Sinopse: Grécia, 1228 A.C. O rei Hiperion está em busca do arco de Épiro, uma poderosa arma que pode matar até mesmo deuses. Para encontrá-lo ele conduz seu exército a todos os vilarejos, deixando um rastro de destruição. Theseus vive tranquilamente em uma pequena vila encravada na montanha, ao lado da mãe e de um senhor que é seu tutor desde quando era criança. O que Theseus não sabia era que o velho na verdade era Zeus, o rei dos deuses, que vinha à Terra sob a forma humana por acreditar em seu potencial. Quando as tropas de Hiperion chegam à vila elas matam a mãe de Theseus e o capturam. No cativeiro ele está entregue à morte, mas recebe apoio de Phaedra, uma vidente que também está presa e teve uma visão em que Theseus empunha o cobiçado arco de Épiro.

Fúria de Titãs 2 (Wrath of the Titans) Diretor: Jonathan Liebesman. EUA. Ano de lançamento: 2012. Sinopse: Perseu não pode mais ignorar a sua participação nessa luta, quando Hades (Ralph Fiennes) e Ares (Édgar Ramírez) fazem um trato com Cronos para capturar Zeus. O poder dos titãs aumenta à medida em que Zeus perde os seus, e o inferno do Tártaro, onde os titãs eram mantido preso, periga se alastrar pela Terra. Resta a Perseu – ao lado de Andromeda (Rosamund Pike), o semideus Agenor (Toby Kebbell) e o deus caído Hefesto (Bill Nighy) – invadir o submundo, resgatar Zeus e salvar o mundo.
Hércules (The Legend of Hercules) Diretor: Renny Harlin. EUA / Alemanha / Bulgária. Ano de lançamento: 2014. Sinopse: A trama enfoca a história de amor entre o filho de Zeus e a princesa mortal de Creta, prometida para o irmão mais velho do semideus. Após serem enganados por um maléfico rei, Hércules e o capitão são vendidos como escravos e devem lutar lado a lado para retomar sua liberdade.
Hércules (Hercules) Diretor: Brett Ratner. EUA. Ano de lançamento: 2014. Sinopse: Após ganhar fama por ter realizado os 12 trabalhos, o semideus Hércules tem suas habilidades novamente testadas pelo rei da Trácia e sua filha, que procuram por ajuda para derrotar um guerreiro tirano.
300: A Ascensão do Império (300: Rise of an Empire) Diretor:    Noam Murro. EUA. Ano de lançamento: 2014. Sinopse: Baseado em Xerxes, quadrinhos de Frank Miller, o novo capítulo da épica saga de “300” leva a ação a um inédito campo de batalha – o mar – à medida que o general grego Themistokles (Sullivan Stapleton) tenta unir a Grécia ao liderar o grupo que mudará o curso da guerra. “300: Rise of an Empire” coloca Themistokles contra as enormes forças Persas, lideradas por Xerxes (Rodrigo Santoro), um mortal que virou deus, e por Artemesia (Eva Green), uma vingativa comandante da marinha persa.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rede social

kia soluçoes Fundo Traspng
Desenvolvido por Kia Soluções
×